Após um desgosto amoroso, ouvimos algumas pessoas queixarem-se de como foram surpreendidas. Gostavam que lhes tivessem dito, que as tivessem avisado de alguma forma, para que talvez assim não tivessem investido tanto na relação.

Embora esta seja a minha opinião, acredito que a maioria das pessoas, que alega ter este desejo irrealista de receber um pré-aviso, não estão sendo sinceras.

As pessoas são sempre rotuladas e, de forma ainda mais fácil, quando fazem algo menos bom. Quando fazes o bem, nem sempre recebes o devido reconhecimento. Quando fazes asneiras, as pessoas apercebem-se rapidamente e gostam de guardar essa memória.

Fui advertida sobre tantos homens com quem me relacionei, que até perdi a conta. Geralmente, a principal razão era: são más escolhas para ti. Isso era óbvio. Mas, não me importava. Porque deveria?

Peço desculpa, mas quão entediante seria se todos os relacionamentos que tivéssemos fossem planeados e soubéssemos exatamente o que esperar? Talvez eu seja mais aventureira que a maioria das pessoas, mas ainda assim ninguém pode realmente querer isto, certo?

Se alguém tem a reputação de ser um idiota, talvez seja mesmo um idiota. Ou talvez tenha simplesmente sido rotulado erroneamente. Talvez tenha sido idiota para alguém em particular. Talvez, talvez, talvez.

Num mundo onde a falta de comunicação cresceu exponencialmente, devido ao aumento da tecnologia, o conselho é saíres e descobrir-te a ti mesma. Em pessoa.

Se alguém tem a capacidade de te fazer sentir bem, te fazer feliz e te fazer sentir desejada, não há dúvida de que serás atraída nessa direção.

Talvez estejas a ser usada. Talvez esteja só a gozar contigo. Talvez estejas a ser manipulada. Talvez, talvez, talvez.

Não estou a dizer que todos os rotulados como idiotas, não sejam realmente idiotas. Talvez sejam. É muito provável que sejam mesmo. Mas, nada disso importa.

Temos que parar de tentar planear tudo e desperdiçar energia a tentar evitar que aconteçam coisas más. Coisas más acontecem. E coisas boas também.

O mais importante é que aprendas com as tuas relações. Aprende o que é bom e, acima de tudo, aprende o que tu quiseres.

Atenção, também não estou a dizer que deves continuar a correr atrás desses idiotas. Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço…

Agradece pelas relações da treta e pelos idiotas. Estes tipos de relações ensinam-te e ajudam-te a revelar o teu verdadeiro eu. É preciso ter a mente aberta. Não podes desperdiçar a tua energia a reclamar ou a desejar voltar no tempo. Não podes voltar no tempo, mas podes aprender. Podes seguir em frente e podes deixar esse mau relacionamento para trás.

Tu podes.

Texto por Alyssa Lynn Malmquist, originalmente publicado no ThoughtCatalog, livremente traduzido e adaptado para este site.